Toledo é líder na produção de alimentos do Paraná pelo 9° ano seguido

30/06/2022
Toledo, no Oeste do estado, se destacou mais uma vez ficando no topo desse ranking com um valor total de R$ 4.371.243.691,89.

O relatório preliminar publicado nesta semana no Diário Oficial do Estado e no site da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento (Seab) demonstrou que o Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) do Paraná somou R$ 180,4 bilhões em 2021. Toledo, no Oeste do estado, se destacou mais uma vez ficando no topo desse ranking com um valor total de R$ 4.371.243.691,89. Para ver os dados detalhados por cidade é só clicar AQUI.

Os números totais do estado representam um crescimento nominal de 41% em relação ao VBP de 2020 (R$ 128,3 bilhões). Em termos reais, o acréscimo é de 5% e este é o maior valor já registrado na série histórica, iniciada há 25 anos, segundo o Departamento de Economia Rural (Deral), responsável pelo levantamento.

“É importante a gente receber essa notícia e a gente fica muito feliz pelo nono ano seguido, Toledo o maior produtor de alimentos do Paraná. Então isso mostra a força do nosso homem do campo, a importância da nossa colonização vem lá desde 1946 com pequenas propriedades, isso faz com que cada vez mais a gente tenha pessoas no campo produzindo mais, a gente teve uma vantagem esse ano com essas essa última safra com uma subida de preços, então subiu muito, subiu os valores também”, disse Diego Bonaldo, Secretário do Agronegócio, de Inovação, Turismo e Desenvolvimento Econômico na Prefeitura Municipal de Toledo.

“A gente espera aí que o próximo ano, a gente tenha uma capacidade de ainda mais. Ano que vem deve ser um deve ter um impacto um pouco maior da crise que a gente teve na produção agrícola e essa crise de suíno na nossa na suinocultura, mas ainda assim, a gente espera que vamos ter mais produção ainda nesse ano e a gente consiga manter esse décimo ano dessa produção. Mas esse prêmio, esse valor bruto da produção maior produtor de alimentos é uma demonstração da capacidade do povo de Toledo”, finalizou Diego.

A FORÇA DO CAMPO: 

Para o secretário da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, os números sinalizam que o campo mostrou sua força, mesmo com desafios como as restrições da pandemia, o aumento de custos de produção e as dificuldades de abastecimento interno. “Apesar de grandes perdas por causa da estiagem e das geadas que tivemos em algumas culturas, é um crescimento muito representativo. E nossa pecuária continua despontando. Significa que estamos cada vez mais agregando valor aos nossos produtos”, afirma.

Ortigara explica que, além de mostrar um panorama da agropecuária paranaense, o VBP tem peso de 8% na distribuição do ICMS no Paraná. “É um grande avanço e contribui para que os municípios possam, com mais recursos, prestar melhores serviços à população”, diz. De acordo com ele, estuda-se aumentar para 10% a participação do VBP na distribuição do ICMS no Paraná. “Seria uma forma de contribuir para que municípios bastante agrícolas tenham ainda mais arrecadação”.

A partir da publicação das informações preliminares no Diário Oficial, os técnicos e gestores municipais analisam os números e, caso desejem, podem entrar com recurso fundamentado para questionar dados do desempenho agropecuário. “O prazo é de 30 dias a contar da publicidade oficial. Depois desse período, o Deral divulga o resultado final do VBP de 2021”, explica o chefe do Deral, Marcelo Garrido.

Fonte: Sou Agro.

Foto: AEN.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Seja o primeiro, faça seu comentário. ;)