Pesca do peixe pintado está proibida no Brasil

27/06/2022
A gente mostrou nos últimos meses aqui no portal Sou Agro o registro de muitos pescadores que fisgaram peixes pintados gigantes no Paraná.

A gente mostrou nos últimos meses aqui no portal Sou Agro o registro de muitos pescadores que fisgaram peixes pintados gigantes no Paraná. Só que agora isso não deve mais acontecer, isso porque a pesca da espécie surubim ou pintado, foi proibida no Brasil por conta do risco de extinção.

Esta é a primeira vez  que o Ministério do Meio Ambiente inclui a espécie na lista de animais ameaçados. A decisão segue os critérios internacionais de risco de extinção. Isso quer dizer que, agora, a pesca desse peixe está proibida em todo o Brasil, incluindo a atividade esportiva do “pesque e solte”.

Essa espécie de peixe pode ser encontrada em grandes bacias, como São Francisco, Paraná, Paraguai e Uruguai e é comum vários países da América do Sul, além do Brasil.

DECISÃO É CRITICADA

Muitos setores criticaram essa decisão. Inclusive a Secretaria de Estado de Meio Ambiente do Mato Grosso e o Conselho Estadual da Pesca (Cepesca) afirmam que a pesca do pintado não está proibida no estado. E segundo esses órgãos, eles aguardam a regulamentação do Governo Federal.

“A portaria não proíbe a pesca do pintado, mas estabelece que o peixe deve ser usado de forma sustentável. Vai depender de uma regulamentação federal esclarecendo quais as regras e procedimentos para o uso desta espécie e outras que possam ter sido acrescentadas dentro desta lista de animais ameaçados”, explica o secretário em exercício da Sema-MT e presidente do Cepesca, Alex Marega.

Apesar dos setores defenderem que a pesca do Pintado é importante para economia e turismo de alguns estados, O ICMBio  (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade), garante que a decisão é resultado de uma análise técnica que usa, inclusive, critérios internacionais de risco de extinção.  O analista ambiental do ICMBio Wellington Adriano explica que essa análise é feita de maneira bem criteriosa.

A Lista Oficial das Espécies Brasileiras Ameaçadas de Extinção avaliou mais de 5 mil espécies da flora e outras 8,5 mil da fauna brasileiras.  Apesar da entrada de 219 novas espécies na Lista, o ICMBio afirma que há motivos para comemoração: 220 tiveram melhora em seu estado de conservação, indo para categorias de menor risco; e outras 144 espécies saíram da Lista.

Como o Brasil possui aproximadamente 20% das espécies existentes no mundo, a Lista Oficial brasileira é um dos maiores esforços em avaliação da biodiversidade empreendidos em nível global.

Fonte: Sou Agro.

Foto: Reproução da Internet.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Seja o primeiro, faça seu comentário. ;)