Argentina limita em 15 litros de gasolina a brasileiros e paraguaios

04/11/2021
Abastecimento de gasolina em Puerto Iguazú agora foi limitado em 15 litros para brasileiros e paraguaios

Após uma verdadeira corrida aos postos de abastecimento de combustível moradores e representantes comerciais de Puerto Iguazú decidiram baixar, em comum acordo, uma normativa limitando a venda de 15 litros para veículos de proprietários brasileiros e paraguaios. A intenção é desestimular que estrangeiros cruzem a Ponte Internacional da Amizade com este único objetivo e evitar a falta do produto.
O preço da gasolina cotado a R$ 3,00 é o principal atrativo para moradores de Foz do Iguaçu e Ciudad del Este (Brasil e Paraguai, respectivamente) irem abastecer em Puerto Iguazú. Deste lado da fronteira, o produto está em média acima de R$ 6,30. Desde a reabertura  da Ponte Tancredo Neves, no final setembro, havia uma preocupação da população local, com a escassez do produto. 
Nos últimos dias, com a flexibilização das medidas para cruzar a fronteira, houve registro de filas de veículos com placa brasileira para abastecer em Puerto Iguazú. A decisão que estabeleceu a cota de 15 litros foi anunciada na tarde desta quarta-feira (03), em reunião que contou com a participação de diversas autoridades e representantes do comércio de Puerto Iguazú, informa o portal LaVozDecataratas.
Entre os presentes estavam Enrique Lavallois (gerente executivo comercial), Luciano Cendra (representante comercial), Marcelo Kubichen (gerente de estação Iguazú), Pablo Camparini (gerente de negócios de varejo), Maite de la Arena (gerente de negócios de rede própria e lojas), Xavier Ruiz (gerente do departamento de planejamento e serviços comerciais), Oscar Duran (chefe da rede própria da região nordeste) e agentes YPF, que é a estatal argentina do petróleo. 

Cambio baixo
"O câmbio favorece os estrangeiros que obtém combustível quase pela metade do preço de seus países", relatou o portal, ao comentar as filas de veículos que se formaram nos últimos dias próximos aos postos de abastecimento. A medida também prevê a separação de estrangeiros e argentinos com filas exclusivas para cada categoria. 
Os moradores de Puerto Iguazú, desde a reabertura da fronteira, já haviam se queixado das dificuldades para abastecer. Na Argentina, o preço do combustível está congelado pelo governo do presidente Alberto Fernández. No Brasil e no Paraguai, o valor varia de acordo com a cotação do petróleo no mercado internacional. No caso brasileiro, está ligado diretamente a variação cambial do Real ante o Dólar, moeda dos Estados Unidos. 
A imprensa da província de Misiones informa que a situação, de filas e falta do produto, também se reflete em outras cidades na fronteira com o Brasil, como é o caso de Bernardo de Yrigoyen, nos limites de Barracão e Dionísio Cerqueira (respectivamente Paraná e Santa Catarina). Devido a grande procura de brasileiros, os moradores locais ficaram sem ter o produto nos postos de abastecimento, relatou o El Território.

Fonte: GDia.

Foto: Bae Negócios/ AR.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Seja o primeiro, faça seu comentário. ;)