FOZ DO IGUAÇU: Temporal deixa rastro de destruição

15/10/2021
O forte temporal que atingiu o Oeste entre a noite de quarta-feira (13) e a madrugada de quinta-feira (14) deixou um rastro de destruição em diversas cidades.

O forte temporal que atingiu o Oeste entre a noite de quarta-feira (13) e a madrugada de quinta-feira (14) deixou um rastro de destruição em diversas cidades. Em Foz do Iguaçu choveu cerca de 36 milímetros em poucos minutos e muitas ruas ficaram completamente alagadas. Estudantes e trabalhadores que retornavam para a casa foram pegos de surpresa e tiveram que pegar atalhos para não ficarem “ilhados”.
A instabilidade, segundo o Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar), foi causada por uma frente fria vinda da Argentina e parte do Paraguai, que se deslocou rapidamente sobre o Paraná.
Além da grande quantidade de água, as rajadas de vento, que atingiram 60 km/h, também causaram inúmeros estragos. De acordo com a Defesa Civil, foram registradas mais de 30 quedas de árvores, sendo que 12 delas atingiram cabos da rede elétrica. Muitas residências foram destelhadas e pelo menos oito famílias precisaram de auxílio com lonas para cobrir os móveis e evitar danos maiores. 
“As equipes iniciaram os trabalhos ainda na madrugada para identificar os problemas e ajudar as pessoas mais atingidas pelo temporal. Pela manhã mais famílias identificaram danos e acionaram a Defesa Civil, que trabalhou durante todo o dia de ontem na remoção de árvores e no reparo de outros estragos em vários bairros”, esclareceu o coordenador da Defesa Civil, inspetor Vandro Cezar. 
Por conta do rompimento da fiação elétrica em vários pontos, 60 mil imóveis ficaram sem luz. A Copel mobilizou todas as equipes para restaurar os padrões. A ação se estendeu até o final da tarde de quinta-feira.  Dentre as regiões mais afetadas estão os bairros Morumbi, Porto Belo, Vila A e Jardim América.  O Corpo de Bombeiros e a Secretaria do Meio Ambiente também auxiliaram nos trabalhos, removendo galhos e realizando a limpeza das vias. 

Pelo Oeste
Transtornos semelhantes foram registrados em outras cidades do Oeste como Cascavel, Toledo e Marechal Cândido Rondon. Duas torres de geração particular de energia caíram sobre a rede da Copel entre essas duas últimas cidades. Outras nove torres da linha de transmissão entre Assis Chateaubriand e Umuarama também cederam. Diversos municípios menores tiveram o fornecimento de energia totalmente interrompido. De acordo com a Copel, em torno de 157 mil unidades consumidoras foram afetadas. 
Muitos imóveis foram danificados com destelhamento, quedas de árvores e rompimento de estruturas. A sede da cooperativa Copacol, localizada em Jesuítas perdeu parte da estrutura e precisou ser fechada até a realização dos reparos. A torre de uma estação de rádio também despencou com o vendaval na cidade. 
Além do Oeste também foram registrados estrados nas cidades vizinhas de Foz. Em Puerto Iguazú, na Argentina, várias casas tiveram os telhados arrancados e uma delas, com estrutura mais precária, desabou. Em Ciudad del Este, no Paraguai, 80 alimentadores de energia foram danificados. Vários painéis e chapas de ferro de lojas foram arrancadas pelo vento. 

Previsão para os próximos dias 
De acordo com o Simepar, uma nova frente fria deve chegar ao Paraná nesta sexta-feira (15), trazendo novamente instabilidade a partir da Argentina e Paraguai. Há previsão de chuvas fortes, raios e ventos moderados especialmente no Oeste. Hoje são esperados 42 milímetros de chuva em Foz do Iguaçu, com ventos que podem chegar a 75 km/h. A previsão pode mudar é claro, mas depois do ultimo temporal é bom ficar em alerta. 

Da redação  / Foto: redes sociais 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Seja o primeiro, faça seu comentário. ;)