Prefeitura garante folha de servidores mesmo com a queda na arrecadação

29/04/2020

A Prefeitura de Foz do Iguaçu vai garantir, até o último dia do mês, a folha de pagamento dos servidores públicos, mesmo com a queda na arrecadação devido à pandemia do novo Coronavírus. O município mantém uma reserva para enfrentar "situações emergenciais", afirmou o prefeito Chico Brasileiro (PSD), em programa levado ao ar na manhã de sábado (25) pela Rádio Cultura. Com a alta do dólar, os Royalties da Itaipu tem contribuído na manutenção de obras e ações.

O governo municipal tem aproximadamente seis mil servidores. Falando especificamente para as diferentes categorias, Chico Brasileiro tranquilizou o funcionalismo, e que "a folha será paga no dia 30, no último dia do mês", ressaltou. De acordo com ele, isso será possível graças as economias promovidas desde o início do exercício financeiro em janeiro deste ano.

"Essa reserva, que nós estamos usando para poder ir colocando as coisas em ordem", informou. De acordo com Brasileiro, é preciso muita cautela. "Cada mês é uma vitória. A gente está tomando medidas de contenção de despesas. Peço aqui, sei que ontem (sexta-feira, 24) foi um dia difícil para nós, ter que cortar, pessoas que estão trabalhando 18 horas por dia".
"Nós tivemos que cortar as gratificações dessas pessoas", frisou o prefeito, ao lembrar decreto editado na última semana, numa tentativa de conter os gastos do município. "Então, é muito difícil", ressaltou.

Arrecadação
Durante o programa, o prefeito também foi questionado sobre a queda na arrecadação após a decretação da situação de emergência e fechamento das atividades comerciais não essenciais a partir de 20 de março. Na última quarta-feira (22), mediante uma decisão de Chico Brasileiro, o comércio começou a reabertura gradual e controlada.

No período em que permaneceu fechado o comércio, muitos impostos e taxas municipais deixaram de serem arrecadados. De acordo com o prefeito, não houve uma queda bruta na arrecadação, uma vez que é necessário especificar cada receita. 
"Não podemos falar em 70% (de queda) da receita global. Digamos, os Royalties (da Itaipu) não houve queda, porque eles tem o valor pela cotação do dólar", explicou. Desde o início da pandemia, na primeira metade de março, a cotação da moeda dos Estados Unidos disparou, chegando próximo a R$ 6,00. 

 

Por Ronildo Pimentel

Fonte: www.gdia.com.br

Foto: Divulgação

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Seja o primeiro, faça seu comentário. ;)